Brasão - Câmara de São Paulo SECRETARIA DE REGISTRO PARLAMENTAR E REVISÃO - SGP.4
EQUIPE DE TAQUIGRAFIA E REVISÃO - SGP.41
NOTAS TAQUIGRÁFICAS
SESSÃO EXTRAORDINÁRIA DATA: 15/12/2019
 
2019-12-15 243 Sessão Extraordinária

243ª SESSÃO EXTRAORDINÁRIA

15/12/2019

- Presidência do Sr. Eduardo Tuma.

- Secretaria dos Srs. Claudio Fonseca, Milton Leite e Reis.

- Às 12h46, com o Sr. Eduardo Tuma na Presidência, feita a chamada, verifica-se haver número. Estiveram presentes durante a sessão os Srs. Alessandro Guedes, Alfredinho, André Santos, Antonio Donato, Arselino Tatto, Atílio Francisco, Caio Miranda Carneiro, Camilo Cristófaro, Celso Jatene, Claudinho de Souza, Claudio Fonseca, Daniel Annenberg, Edir Sales, Eduardo Matarazzo Suplicy, Eliseu Gabriel, Fabio Riva, Fernando Holiday, George Hato, Gilberto Nascimento, Gilson Barreto, Isac Felix, Jair Tatto, Janaína Lima, João Jorge, José Police Neto, Juliana Cardoso, Mario Covas Neto, Milton Ferreira, Milton Leite, Noemi Nonato, Ota, Patrícia Bezerra, Paulo Frange, Quito Formiga, Reis, Ricardo Nunes, Ricardo Teixeira, Rinaldi Digilio, Rodrigo Goulart, Rute Costa, Sandra Tadeu, Senival Moura, Soninha Francine, Souza Santos, Toninho Paiva e Zé Turin. A Sra. Adriana Ramalho encontra-se em licença.

O SR. PRESIDENTE ( Eduardo Tuma - PSDB ) - Há número legal. Está aberta a sessão. Sob a proteção de Deus, iniciamos os nossos trabalhos.

Esta é a 243ª Sessão Extraordinária, da 17ª Legislatura, convocada para hoje, dia 15 de dezembro de 2019.

Passemos à Ordem do Dia.

ORDEM DO DIA

O SR. PRESIDENTE ( Eduardo Tuma - PSDB ) - Passemos ao processo de votação para o preenchimento do cargo de Corregedor-Geral desta Casa, em conformidade com a Resolução nº 7, de 29 de maio de 2003.

Solicito ao Sr. Secretário que proceda à leitura dos dispositivos que disciplinarão a eleição.

O SR. SECRETÁRIO (Claudio Fonseca - CIDADANIA) - “A Resolução nº 7, de 29 de maio de 2003 e a Resolução nº 2, de 26 de abril de 1991, Regimento Interno da Câmara Municipal, estabelecem: Resolução nº 7, 29/05/2003, Art. 3º. A Corregedoria será constituída por 07 (sete) membros, cujo mandato será de 01 (um) ano. § 1º - O Corregedor Geral será escolhido pelo Plenário em primeira votação por maioria absoluta e em segunda votação por maioria simples. § 2º - Os 06 (seis) membros restantes, bem como seus suplentes, serão Vereadores escolhidos por suas bancadas, respeitando, sempre que possível, o quociente partidário definido pelo artigo 40 do Regimento Interno da Câmara Municipal de São Paulo. § 3º - Somente poderá integrar a Corregedoria o Vereador que não tiver sofrido sanção por qualquer infração disciplinar há pelo menos 08 (oito) sessões legislativas. Art. 4º. IV - não se considera recondução a eleição para o mesmo cargo em legislaturas diferentes, ainda que sucessivas; V - quando houver mudança de legislatura, a eleição da Corregedoria se dará nas formas da eleição da Mesa. Resolução nº 2, de 26/05/91, Regimento Interno da Câmara Municipal de São Paulo: Art. 120 - O Líder, além de outras atribuições regimentais, tem as seguintes prerrogativas: IV - registrar os candidatos do Partido ou Bloco Parlamentar para concorrer aos cargos da Mesa, ou a Corregedoria.”

O SR. PRESIDENTE ( Eduardo Tuma - PSDB ) - Declaro que, a partir deste momento, a Presidência receberá as indicações para o cargo de Corregedor-Geral.

A SRA. EDIR SALES (PSD) - (Pela ordem) - Sr. Presidente, reeleito hoje, parabéns. Queremos lembrar que seguimos nesta Casa, e é estatutário, o princípio da proporcionalidade; e, pelo princípio da proporcionalidade, logo depois do PL e do PRB, seria o nosso Partido, PSD.

Nossa Bancada fechou questão para apoiarmos o Vereador Rodrigo Goulart, que tem um trabalho sério na Casa, todos conhecem, é competente, jovem. Então queremos pedir apoio para S.Exa., respeitando mais uma vez o princípio da proporcionalidade.

Muito obrigada.

O SR. CAMILO CRISTÓFARO (PSB) - (Pela ordem) - Sr. Presidente, obrigado à Vereadora Edir Sales por falar da proporcionalidade. Nós também temos quatro Vereadores e 70 anos de história.

No dia 12 último, o Presidente, numa atitude de grandeza e generosidade, chamou todos os líderes à presidência, às 16h, e os líderes indicaram a Mesa que hoje se compõe.

Na hora de indicar o Corregedor, o PSD indicou o Vereador José Police Neto. A Vereadora Edir Sales, minha amiga, minha irmã, Líder, disse que não queria disputar esse cargo; e a Vereadora Rute Costa, de viva voz, e o Vereador Rodrigo Goulart também não.

Nós indicamos, na reunião de líderes, o Vereador Ota, que disse não ter condições de assumir o cargo por estar passando por um tratamento de quimioterapia. Torcemos para que S.Exa. e o Prefeito Bruno Covas melhorem, se saiam bem disso, e vamos comemorar no ano que vem.

Nós precisamos de uma pessoa experiente. O nobre Vereador Rodrigo é meu amigo, mas o nobre Vereador Eliseu Gabriel, com 20 anos de Casa, é um Vereador tranquilo que pode levar a Corregedoria desta Casa numa imparcialidade total. Foi isso que o Presidente Tuma pediu, foi isso que o Presidente Milton Leite pediu: um candidato que tenha experiência na Casa e que, diferente deste Vereador que vos fala, que não seja encrenqueiro nem briguento.

Portanto, peço voto à experiência do nobre Vereador Eliseu Gabriel.

O SR. MARIO COVAS NETO (PODE) - (Pela ordem) - Sr. Presidente, pelo critério de proporcionalidade, essa vaga é para qual partido? São candidatos de dois partidos. Eu queria saber: no entendimento da Mesa, pelo critério da proporcionalidade, essa vaga caberia a qual partido?

O SR. PRESIDENTE ( Eduardo Tuma - PSDB ) - Na verdade, o critério de proporcionalidade não se encontra no Regimento, mas hoje esta Casa demonstrou que entende o critério de proporcionalidade e a indicação partidária pelos líderes do partido. Tanto o PSD quanto o PSB têm quatro Vereadores. O critério de desempate, historicamente, é pela antiguidade do partido. Nesse caso, o Partido Socialista Brasileiro indicaria o candidato à Corregedoria. Na verdade, já indicou.

Tem a palavra, pela ordem, o nobre Vereador Celso Jatene.

O SR. CELSO JATENE (PL) - (Pela ordem) - Sr. Presidente, eu entendo que o critério da proporcionalidade passou por um entendimento um pouco diferenciado, na medida em que a nossa 1ª Suplente faz parte de uma bancada de dois Vereadores e o nosso 2º Suplente é do PSDB, mesmo partido do Sr. Presidente. Então, a partir da 2ª Secretaria, o critério da proporcionalidade sofreu alguns ajustes de entendimentos entre os próprios Vereadores, as próprias bancadas, e todo mundo aceitou, votou, e os dois estão eleitos. A partir daí, não podemos bancar que estamos seguindo o critério da proporcionalidade, rigorosamente, para a indicação do Corregedor.

Por causa disso, o entendimento da Bancada do PL é que todos estão liberados, cada um vota em quem quiser, porque o critério da proporcionalidade não pode ser exigido neste momento. Se fosse exigido, o PSD teria de indicar o 1º Suplente ou o 2º Suplente; e o PSB teria de indicar o 1º Suplente ou o 2º Suplente. Mas, se eles abriram mão dessa situação, não há de se falar em proporcionalidade. Aí sim, vota-se no Vereador que acha que vai tocar a Corregedoria com mais critério, com mais dinamismo, com mais competência.

Portanto, duas indicações de partidos diferentes é uma situação totalmente diferente da que vivemos aqui com o PT, então cada Vereador votará no Vereador que achar que pode fazer o melhor trabalho. E a Bancada do PL está 100% liberada para votar em quem quiser.

Obrigado.

O SR. PRESIDENTE ( Eduardo Tuma - PSDB ) - O elemento político nesta Casa nunca pode ser excluído de qualquer condução, seja em votação de Mesa, seja em votação de projeto: em qualquer decisão aqui, o critério político está sempre envolvido, o que permite evidentemente algum ajuste, quando for necessário.

Cito o caso do MDB, quando o nobre Vereador George Hato indicou o nobre Vereador Claudinho de Souza, de outro partido, para a suplência.

Termino com outra argumentação - e não vamos alongar o discurso -, que é a seguinte: esta Casa tem por praxe considerar como Mesa Diretora, como define o Regimento Interno, os cinco membros mais o Corregedor; as suplências não entram nessa configuração. Então a orientação da Casa é nesse sentido: as suplências não passam...

O SR. CELSO JATENE (PL) - (Pela ordem) - Eu respeito, eu respeito...

O SR. PRESIDENTE ( Eduardo Tuma - PSDB ) - Não, deixe-me somente terminar, Vereador Celso Jatene.

O SR. CELSO JATENE (PL) - (Pela ordem) - Mas eu respeito o que V.Exa. fala, eu estou dizendo somente a decisão do meu partido.

O SR. PRESIDENTE ( Eduardo Tuma - PSDB ) - Eu somente estou dizendo a orientação da Casa, que V.Exa. colocou como um imperativo que o critério das suplências obedeceria também às indicações partidárias. Não é a praxe desta Casa.

O SR. CELSO JATENE (PL) - (Pela ordem) - É o entendimento de meu partido.

O SR. PRESIDENTE ( Eduardo Tuma - PSDB ) - São os cinco membros mais o Corregedor. Tanto é verdade que os suplentes, nos quatro anos da legislatura passada - e não seria diferente nesta legislatura -, que foi uma legislatura da qual eu também participei, não seguiram esse critério, mas os cinco membros da Mesa Diretora e o Corregedor, sim.

O SR. CELSO JATENE (PL) - (Pela ordem) - E V.Exa. pode me dizer qual é o próximo partido, pela proporcionalidade?

O SR. PRESIDENTE ( Eduardo Tuma - PSDB ) - Eu novamente reafirmo, porque acabei de falar...

O SR. CELSO JATENE (PL) - (Pela ordem) - Qual é?

O SR. PRESIDENTE ( Eduardo Tuma - PSDB ) - Existe a orientação por número de membros, de Vereadores. Se os partidos tiveram igual número de Vereadores - PSD e PSB, os dois que indicaram, têm quatro vereadores -, é pela antiguidade do partido.

O SR. CELSO JATENE (PL) - (Pela ordem) - Então eu vou dar o meu entendimento.

O SR. PRESIDENTE ( Eduardo Tuma - PSDB ) - Pois é, esse é o problema, Vereador Celso Jatene.

O SR. CELSO JATENE (PL) - (Pela ordem) - Desculpe, Sr. Presidente, mas se for seguir a proporcionalidade - Vereador Camilo, me desculpe -, é o PSD, porque o PSB começou esse mandato com três Vereadores e mais um suplente, não começou com quatro vereadores titulares.

O SR. PRESIDENTE ( Eduardo Tuma - PSDB ) - Assim como o Republicanos tinha quatro vereadores, e hoje tem cinco.

O SR. CAMILO CRISTÓFARO (PSB) - (Pela ordem) - Vereador Souza...

O SR. CELSO JATENE (PL) - (Pela ordem) - Então, por isso eu disse...

O SR. PRESIDENTE ( Eduardo Tuma - PSDB ) - Não, é somente um critério.

O SR. CELSO JATENE (PL) - (Pela ordem) - Por isso eu disse que estou dando entendimento de minha bancada.

O SR. PRESIDENTE ( Eduardo Tuma - PSDB ) - Ótimo.

O SR. CELSO JATENE (PL) - (Pela ordem) - Eu não estou dando o entendimento da Câmara; o entendimento da Câmara, V.Exa. é o Presidente, V.Exa. dá; e eu respeito muito, V.Exa. sabe disso.

O SR. PRESIDENTE ( Eduardo Tuma - PSDB ) - Obrigado, Vereador Celso Jatene.

O SR. CELSO JATENE (PL) - (Pela ordem) - Agora, eu estou dando o entendimento de minha bancada; estamos indicando a votação.

O SR. CAMILO CRISTÓFARO (PSB) - (Pela ordem) - Sr. Presidente, somente uma palavra...

O SR. PRESIDENTE ( Eduardo Tuma - PSDB ) - Eu vou passar à votação.

O SR. CAMILO CRISTÓFARO (PSB) - (Pela ordem) - Somente uma palavra.

O SR. PRESIDENTE ( Eduardo Tuma - PSDB ) - Indicados os Senhores Vereadores Rodrigo Goulart e Eliseu Gabriel.

A SRA. RUTE COSTA (PSD) - Pela ordem, Sr. Presidente.

O SR. PRESIDENTE ( Eduardo Tuma - PSDB ) - Tem a palavra a nobre Vereadora Rute Costa, por favor.

A SRA. RUTE COSTA (PSD) - (Pela ordem) - Por gentileza, o Camilo Cristófaro pediu a palavra, e eu gostaria de ter também.

O SR. PRESIDENTE ( Eduardo Tuma - PSDB ) - Mas S.Exa. é Líder da bancada, e a nobre Vereadora Edir falou pelo PSD.

A SRA. RUTE COSTA (PSD) - (Pela ordem) - É, mas S.Exa. colocou em dúvida, questionou a isenção do Vereador Rodrigo Goulart.

O SR. CAMILO CRISTÓFARO (PSB) - (Pela ordem) - Como?

A SRA. RUTE COSTA (PSD) - (Pela ordem) - Como se S.Exa. fosse um Corregedor não isento.

S.Exa. será isento. Quanto a isso, dou a minha palavra, dou a palavra do PSD. S.Exa. será isentíssimo. O Sr. Presidente sabe. Pode ficar tranquilo.

O Vereador Goulart está aqui como a segunda pessoa da família Goulart nesta Casa; evocou a família Goulart que já ocupou a cadeira nesta Casa.

Muito obrigada.

O SR. PRESIDENTE ( Eduardo Tuma - PSDB ) - Ótimo.

Vamos à votação. O Vereador Claudio Fonseca apregoa o nome, e o Vereador Milton Leite fará a conferência da votação. Os Vereadores terão opção de votar no Vereador Rodrigo Goulart ou no Vereador Eliseu Gabriel. Em ordem alfabética. A votos.

- O Sr. Secretário procede à chamada dos Srs. Vereadores, que votam um a um.

O SR. SECRETÁRIO (Claudio Fonseca - CIDADANIA) - O nobre Vereador Adilson Amadeu está ausente.

A nobre Vereadora Adriana Ramalho está de licença.

O SR. ALESSANDRO GUEDES (PT) - (Pela ordem) - Sr. Presidente, quero cumprimentar os dois candidatos, amigos nossos. Mas, por orientação da Bancada, votarei no candidato do PSB, Vereador Eliseu Gabriel.

O SR. ALFREDINHO (PT) - (Pela ordem) - Sr. Presidente, pela firmeza que o PSB teve conosco, voto em Eliseu Gabriel

O SR. ANDRÉ SANTOS (REPUBLICANOS) - (Pela ordem) - Eliseu Gabriel.

O SR. ANTONIO DONATO (PT) - (Pela ordem) - Por entender que o critério da proporcionalidade, como expliquei em minha primeira fala, é um critério que eu persigo, e por entender que a proporcionalidade garante a vaga ao PSD, voto em Rodrigo Goulart.

O SR. ARSELINO TATTO (PT) - (Pela ordem) - Eliseu Gabriel.

O SR. ATÍLIO FRANCISCO (REPUBLICANOS) - (Pela ordem) - Eu tinha até dito ao nobre Vereador Eliseu Gabriel que votaria em S.Exa.; mas, seguindo a questão da proporcionalidade, que o Vereador Celso firmou bem, eu voto em Rodrigo Goulart.

O SR. SECRETÁRIO (Claudio Fonseca - CIDADANIA) - O nobre Vereador Aurélio Nomura está ausente.

O SR. CAIO MIRANDA CARNEIRO (PSB) - (Pela ordem) - Voto em Eliseu Gabriel.

O SR. CAMILO CRISTÓFARO (PSB) - (Pela ordem) - Eliseu Gabriel.

O SR. SECRETÁRIO (Claudio Fonseca - CIDADANIA) - O nobre Vereador Celso Giannazi está ausente.

O SR. CELSO JATENE (PL) - (Pela ordem) - Respeitando a proporcionalidade, voto em Rodrigo Goulart.

O SR. SECRETÁRIO (Claudio Fonseca - CIDADANIA) - Claudio Fonseca vota em Eliseu Gabriel.

O nobre Vereador Dalton Silvano está ausente.

O SR. DANIEL ANNENBERG (PSDB) - (Pela ordem) - Eliseu Gabriel.

A SRA. EDIR SALES (PSD) - (Pela ordem) - Seguindo o princípio da anterioridade, porque na legislação anterior nós tínhamos sete e o PSB tinha quatro, eu voto em Rodrigo Goulart.

O SR. EDUARDO MATARAZZO SUPLICY (PT) - (Pela ordem) - Com todo respeito ao Vereador Rodrigo Goulart, neste caso, seguindo a Liderança do PT, eu voto em Eliseu Gabriel.

O SR. PRESIDENTE (Eduardo Tuma - PSDB) - Vereador Eduardo Tuma vota Eliseu Gabriel.

O SR. ELISEU GABRIEL (PSB) - (Pela ordem) - Eliseu Gabriel.

O SR. SECRETÁRIO (Claudio Fonseca - CIDADANIA) - O nobre Vereador Fabio Riva está ausente.

O SR. FERNANDO HOLIDAY (DEM) - (Pela ordem) - Sr. Presidente, como já deixei claro nas últimas eleições, eu não sigo o critério da proporcionalidade, sigo outros critérios. Neste caso da Corregedoria, seguirei o critério daquela Bancada que mais tende à neutralidade na análise dos processos da Corregedoria - e eu, como sou um grande freguês da Corregedoria, devo levar esse critério à risca. Portanto, meu voto é em Rodrigo Goulart.

O SR. GEORGE HATO (MDB) - (Pela ordem) - Rodrigo Goulart.

O SR. GILBERTO NASCIMENTO (PSC) - (Pela ordem) - Eu, que não sou cliente da Corregedoria como o Vereador Fernando Holiday, voto em Rodrigo Goulart.

O SR. SECRETÁRIO (Claudio Fonseca - CIDADANIA) - O nobre Vereador Gilberto Natalini está ausente.

O SR. ISAC FELIX (PL) - (Pela ordem) - Rodrigo Goulart.

O SR. JAIR TATTO (PT) - (Pela ordem) - Eliseu Gabriel.

A SRA. JANAÍNA LIMA (NOVO) - (Pela ordem) - Eliseu Gabriel.

O SR. JOÃO JORGE (PSDB) - (Pela ordem) - Voto com o PSDB em Eliseu Gabriel.

O SR. JOSÉ POLICE NETO (PSD) - (Pela ordem) - Rodrigo Goulart.

A SRA. JULIANA CARDOSO (PT) - (Pela ordem) - Vereador Eliseu Gabriel.

O SR. MARIO COVAS NETO (PODE) - (Pela ordem) - Conforme explicado pela Presidência, voto, então, pela proporcionalidade, no PSB. Eliseu Gabriel.

O SR. MILTON FERREIRA (PODE) - (Pela ordem) - Apesar da existência de dois bons candidatos, vou seguir a orientação da Presidência: Eliseu Gabriel.

O SR. MILTON LEITE (DEM) - (Pela ordem) - Voto em Eliseu Gabriel.

A SRA. NOEMI NONATO (PL) - (Pela ordem) - Rodrigo Goulart.

O SR. OTA (PSB) - (Pela ordem) - Eliseu Gabriel.

A SRA. PATRÍCIA BEZERRA (PSDB) - (Pela ordem) - Eliseu Gabriel

O SR. PAULO FRANGE (PTB) - (Pela ordem) - Eliseu Gabriel.

O SR. QUITO FORMIGA (PSDB) - (Pela ordem) - Eliseu Gabriel.

O SR. REIS (PT) - (Pela ordem) - Rodrigo Goulart.

O SR. RICARDO TEIXEIRA (DEM) - (Pela ordem) - Professor Eliseu Gabriel.

O SR. RINALDI DIGILIO (REPUBLICANOS) - (Pela ordem) - Rodrigo Goulart.

O SR. RODRIGO GOULART (PSD) - (Pela ordem) - Sr. Presidente, sem nenhum tipo de intervenção, e por indicação partidária, voto no Vereador Rodrigo Goulart.

A SRA. RUTE COSTA (PSD) - (Pela ordem) - Voto no Vereador Rodrigo Goulart.

A SRA. SANDRA TADEU (DEM) - (Pela ordem) - Voto no Vereador Eliseu Gabriel.

O SR. SENIVAL MOURA (PT) - (Pela ordem) - Voto no Vereador Eliseu Gabriel.

A SRA. SONINHA FRANCINE (CIDADANIA) - (Pela ordem) - Absolutamente dividida entre a serenidade de um e a experiência de outro, abstenho-me.

O SR. SECRETÁRIO (Claudio Fonseca - CIDADANIA) - O nobre Vereador Souza Santos está ausente.

O SR. TONINHO PAIVA (PL) - (Pela ordem) - Abstenção.

O SR. SECRETÁRIO (Claudio Fonseca - CIDADANIA) - O nobre Vereador Toninho Vespoli está ausente.

O nobre Vereador Xexéu Tripoli está ausente.

O SR. ZÉ TURIN (REPUBLICANOS) - (Pela ordem) - Voto no Vereador Eliseu Gabriel.

O SR. SECRETÁRIO (Claudio Fonseca - CIDADANIA) - Passemos à segunda chamada.

- O Sr. Secretário procede à segunda chamada dos Srs. Vereadores.

O SR. SECRETÁRIO (Claudio Fonseca - CIDADANIA) - Nobre Vereador Adilson Amadeu. (Pausa) Ausente. Nobre Vereador Aurélio Nomura. (Pausa) Ausente. Nobre Vereador Celso Giannazi. (Pausa) Ausente.

O SR. CLAUDINHO DE SOUZA (PSDB) - (Pela ordem) - Voto no Vereador Eliseu Gabriel.

O SR. SECRETÁRIO (Claudio Fonseca - CIDADANIA) - Nobre Vereador Dalton Silvano. (Pausa) Ausente.

O SR. FABIO RIVA (PSDB) - (Pela ordem) - Seguindo as explicações do Sr. Presidente com relação à proporcionalidade, voto no Vereador Eliseu Gabriel.

O SR. GILSON BARRETO (PSDB) - (Pela ordem) - Voto no Vereador Eliseu Gabriel.

O SR. RICARDO NUNES (MDB) - (Pela ordem) - Voto no Vereador Rodrigo Goulart.

- Manifestações no plenário.

O SR. SOUZA SANTOS (REPUBLICANOS) - (Pela ordem) - Voto no Vereador Eliseu Gabriel.

O SR. SECRETÁRIO (Claudio Fonseca - CIDADANIA) - Nobre Vereador Toninho Vespoli. (Pausa) Ausente.

Segunda chamada concluída, Sr. Presidente.

- Concluída a votação, sob a presidência do Sr. Eduardo Tuma, verifica-se que votaram no Sr. Rodrigo Goulart os Srs. Antonio Donato, Atílio Francisco, Celso Jatene, Edir Sales, Fernando Holiday, George Hato, Gilberto Nascimento, Isac Felix, José Police Neto, Noemi Nonato, Reis, Ricardo Nunes, Rinaldi Digilio, Rodrigo Goulart e Rute Costa; votaram no Sr. Eliseu Gabriel os Srs. Alessandro Guedes, Alfredinho, André Santos, Arselino Tatto, Caio Miranda Carneiro, Camilo Cristófaro, Claudinho de Souza, Claudio Fonseca, Daniel Annenberg, Eduardo Matarazzo Suplicy, Eduardo Tuma, Eliseu Gabriel, Fabio Riva, Gilson Barreto, Jair Tatto, Janaína Lima, João Jorge, Juliana Cardoso, Mario Covas Neto, Milton Ferreira, Milton Leite, Ota, Patrícia Bezerra, Paulo Frange, Quito Formiga, Ricardo Teixeira, Sandra Tadeu, Senival Moura, Souza Santos e Zé Turin; abstiveram-se a Sra. Soninha Francine e o Sr. Toninho Paiva.

O SR. SECRETÁRIO (Milton Leite - DEM) - O nobre Vereador Eliseu Gabriel obteve 30 votos; o nobre Vereador Rodrigo Goulart, 15 votos; e abstiveram-se de votar 2 Srs. Vereadores.

O SR. PRESIDENTE (Eduardo Tuma - PSDB) - Está eleito para o cargo de Corregedor-Geral, com 30 votos, o nobre Vereador Eliseu Gabriel. (Palmas)

Nesse sentido encerramos a votação da Corregedoria-Geral.

Parabéns a todos e a todas.

Estão encerrados os nossos trabalhos.